sexta-feira, 20 de julho de 2018

Entre Mis Recuerdos...





Em Busca de Refúgio...

Se a divina Providência
Pode me proteger
Que Deus me proteja 
Da subserviência do Estado
E do jogo de forças do mercado...

Clamo a Ti, Senhor, 
o Tempo que passou
e não volta mais...

Tempo em que apenas a competição
Designava minha cota de risco
E tudo era uma questão de Lei e Ordem
Classificando os sintomas 
Da vulnerabilidade da falta de lógica...

Rogo, ó Deus, pela ausência de sombras
Na eficácia da vigilância que me assegura
Um olhar atento aos constantes perigos
Em meu entorno
Permita-me uma condição de alerta constante...

E, assim, solapem os alicerces que sustentam
o Poder que nos transforma em fiéis súditos...

*.*.*.*.*
Imagem Google

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Fame...

Princípios da Harmonia...

Diante do meu ser, 
fixo-me na parede do tempo...

A contento, contemplo
do outro lado do mundo,
a harmonia de Ser...

Com o olhar fixo para frente
recordo o passado...

Enquanto miro para trás
vejo a paz do futuro...

Para baixo, 
piso à natureza de viver o hoje...

*.*.*.*.*
Sunset no Parque do Ipê

Um Dia De Domingo...

sexta-feira, 13 de julho de 2018

A Luz do meu Destino...

Acima de todas as Dúvidas 
O Astro Rei para sempre Brilhará...

E seus raios serão eternamente
A Luz do meu Caminho 
Para além de qualquer Destino...

*.*.*.*.*
Imagem Google...


quarta-feira, 11 de julho de 2018

Someone In the Doorway...




Desejo de Amar...

Sigo sempre em frente sem cansar e tento conquistar meu mundo... Não basta dizer que não somos mais vítimas do nosso passado, mas, sim, que temos a capacidade para mudar nosso futuro... Quando transformamos o Amor em um Caminho seguro podemos navegar nas correntezas dos Rios mais tempestuosos possíveis, pois, assim, impulsionados pela liberdade, construiremos a mais plena felicidade... 

Na solidão
Que me devora 
Amar
Sem conseguir expressar
É saber sofrer 
Sentindo o sabor 
Da sofreguidão 
Como se fosse a própria paixão
No cais dos amantes 
Em ebulição...

*.*.*.*.*
Selfie no Parque Ipê

domingo, 10 de junho de 2018

sexta-feira, 8 de junho de 2018

No Coração da Esperança...

Os traços sensíveis que configuram um gesto divino vêm do mais belo interior do ser: viver também é ver a beleza natural de cada minuto pisado no chão firme, assim vou alimentando a Fé e a Esperança...

Tenho que reafirmar: no coração da esperança retrata a frágil expressão de um ser humano cheio de contradições e dúvidas, felizmente sei reconhecer meus erros e minha debilidade, assim como já provei minhas dificuldades em tomar iniciativa em relação a certas pessoas, bem como em impulsionar meu querer na conquista daquilo que julgo me fazer bem... Sem querer me lambuzar no prato frio da vingança, tenho muito o que esquecer sobre as mágoas das quais nutro daqueles que já causaram ofensas sobre minha pessoa ou comentários vis em relação ao meu débil comportamento... Ao longo desse texto ocuparei espaço que demonstrará o devido valor e respeito pela vã filosofia que acredito, a qual me permite excelente reflexão ao cotidiano vivido... Digo isso porque mesmo eu não tendo a intenção de conquistar bens materiais, sou confundida com uma materialista, assim certos desabafos transformam-se em ganhos de incompreensões... 

Só estou aqui apenas para agradecer tudo que de bom o cotidiano me proporciona: através da escrita eu sinalizo o devir com alegria e boas recompensas... Assim, aprendi agradecer todos os Dias, ao Senhor e meu bom Deus, pelo milagre da vida...

Foi necessário atravessar desertos fora de mim, para que eu fosse capaz de encontrar um oásis no recôndito da distante alma; atravessei o Atlântico e lá reconheci que vale a pena viver cada pequeno momento pisado do chão firme ou imersa no ar... Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crises, nada é uma fatalidade do destino, mas sim uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser...

No Coração da Esperança mora a sinceridade, porque a pulsão do Amor é quem me guia na razão de viver a cada segundo que inspiro sonhos... Com os dias redescobri a segurança no palco do medo e encontrei o amor nos desencontros... Há muito Tempo aprendi apreciar, admirar e a torçer pelos bons momentos que ainda virão... E que o Tesouro de nossos dias seja mais riqueza de afeto, carinho, compressões e boas autocríticas em nossos afazeres... E que as Bênçãos da Divina Luz Ilumine sempre nossas mentes!... Amém!...

*.*.*.*.*
Hugo e Eu no Castelo de São Jorge, Lisboa

quarta-feira, 16 de maio de 2018

No puedo vivir sin ti...



Precária Emoção...

Mas voltemos um pouco mais atrás...

Quando nasci, dois caminhos resplandeceram:
Um selvagem e escuro
Outro repleto de civilidade
E iluminado...

Com olhos assustados 
A mágica expressão da arte
Em mim, se fez vida
De viajante sem partida...

Decifra-me
Sem dizer que eu perdi a direção...

Eis que sem sair do limite 
Permaneço na mesma condição
Sorvendo a emoção 
Dilacerando o precário coração...

*.*.*.*.*

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Onde está o Amor?...

Um Brinde à Vida: Gratidão II...

Num súbito desejo, invade-me uma imensa necessidade de agradecer ao Universo por está me conduzindo nesta enigmática embarcação: a Vida!...

Viver, muitas vezes, para mim, representou – frente à crise em que, atualmente, se encontra a humanidade, e, em particular, a prática das relações humanas – uma busca constante ao passado das tradições... Eu não conseguia perceber que dessa forma abandonava de lado os ensinamentos modernos: quando dizem que viver é estar e usufruir o presente; sempre apoiava-me num pensamento dos costumes tradicionais de outrora para compreender o existir agora... Assim esquecia de viver...

Já agora penso que devo assumir a vida/presente, entender é aceitar os fundamentos da existência como contínua superação das tensões entre o meu Eu Sujeito e meu Eu Objeto, o Outro e o Mundo, a morte e a Liberdade perante as intensas indagações interior sobre o processo existencial de nossa condição humana...

Nessa perspectiva, assumo a realidade afirmando-me numa forma a qual eu  possa alicerçar uma compreensão mais objetiva ou construtiva de vitalidade: para assim vivenciar e descrever um novo prisma ao Olhar (aqui foi quando aprendi a não esperar mais nada de ninguém: faço eu alguma História, e já não temo mais as surpresas da vida), porquanto isto permitirá a mim reconstituir-me numa dimensão original ao reconhecer em que ponto real do presente encontro-me e qual o mundo de significações eu construí...

Enfim, é chegado o momento de agradecer ao Universo por ter-me permitido o cruzamento entre as trilhas da minha vida com as estradas dos peregrinos da escrita... Com isto quero agradecer a todos que me aceitam na condição de aluna na escola do viver...

Sou muito grata por ter encontrado escritores que me permitem ouvir o som de suas palavras e sentir o sabor de suas escritas...

Minha gratidão também lá do fundo do coração aos amigos e seguidores do Twitter, Facebook e os autores dos blogs com os quais aprendi a arte de compartilhar sentimentos; como agradeço também aos falsos amigos(as) que me ensinam a dizer NÃO e a evitar ser como eles(as) são... Este é um agradecimento que demonstra aos infelizes e hipócritas o prazer da sinceridade, pois eles sofrem por não  sentirem o sabor do amor e o valor da amizade, por se firmarem nas avarezas e desprezarem a simplicidade enquanto bem maior na arte de se relacionar com seu próximo...

Meu eterno agradecimento por todas as leituras que domesticaram meus instintos selvagens, ao que possibilitaram minha Paixão pelo Conhecimento... Ainda meu infinito agradecimento aos deuses da arte de poetizar, compor e interpretar, sem a música e a poesia eu nem existiria...

Os meus mais sinceros e profundos agradecimentos, em especial aos meus Pais e Avós que me iniciaram a sabedoria de harmonizar o coração e aceitar a simplicidade como trajetória de humanização; aos outros membros da família sou grata: tias, tios, irmãos, irmãs, sobrinhos(as) e primos(as) por me ensinarem que não vale a pena odiar, sentir inveja e ciúmes... Minha gratidão afetuosa aos seres especiais que cruzam comigo pelas trilhas da caminhada e exalam o aroma da paixão, do desejo e da amizade, que me permitem sonhar com o doce sabor do tocar, sentir e desejar através do olhar...  

E, para sempre fico agradecida aos filhos e netos que me encaminham, nessa árdua e deliciosa arte de viver, aprendendo a amar e amar cada vez mais na incessante ternura do existir na condição de mulher-mãe-avó...

Finalmente, muito obrigada, meu Senhor e meu Deus, por esta Divina Luz do Universo que nos mobiliza!...

*.*.*.*.*
Pintura: Vicente Romero Redondo

terça-feira, 1 de maio de 2018

À Noite Sonhei Contigo...

Tempo: Psicológico e Biológico...

Para início de conversa apresento a ideia de Juliana Silva sobre o tempo psicológico: "O tempo é a medida subjetiva das nossas incertezas... Um segundo de sonho pode corresponder a anos de nossas expectativas... Um minuto de dor pode ser equivalente a séculos de angústia... Mas uma hora de felicidade, real e sincera, pode justificar milênios de existência humana na Terra"...

Talvez eu tenha muitos motivos para querer compreender melhor a minha eterna obsessão em ouvir o silêncio (ou apreciar a dança da solidão), no entanto nunca busquei nenhuma explicação para esse hábito que me leva as horas sem eu perceber; contento-me em experimentar sempre essa deliciosa mania... Todavia, sinto uma imensa necessidade de repensar sobre o nosso tempo psicológico e o biológico... 

Sim, o tempo que eu levo para compreender e perceber as situações de forma diferente é chamado de tempo psicológico; este é um dos aspectos que diferenciam as pessoas umas da outras, e nada tem a ver com anomalia mental (de acordo com os profissionais capacitados nesse tema), assim como temos aquele tempo que dita nossas atividades internas: o biológico... 

Pois bem, são as nossas expectativas (desde que não sejam transformadas em ansiedade) que caracterizam e influenciam o nosso tempo psicológico; é esse tempo que nos faz perceber, variavelmente, a velocidade do ano entre a fase infantil e a adulta... Para uma criança o ano leva uma eternidade para percorrer, naturalmente, os meses, ao contrário de um adulto que sente de maneira muito mais veloz... É esse o tempo que impõe a nossa subjetividade de acordo com nossas vivências... 

Por conseguinte, temos outro tempo fundamental para nossa diferenciação... do mesmo modo que nos assemelha: o tempo biológico... Este tempo determinado pela nossa própria biologia é a resposta do nosso corpo em relação ao sono, para nós mulheres: o ciclo menstrual e todas as atividades do funcionamento de nosso organismo interno que ocorrem regularmente conforme a estrutura de nossa fisiologia... 

Mas, na partitura delicada da sinfonia de nosso corpo, existem outros funcionamentos que definem e influenciam o nosso viver em ciclos diários: a respiração, a pressão sanguínea, a temperatura corporal, que são chamados também de circadianos (duram um dia) e vão se adequando e combinando com outros tempos de duração diferentes, como luminosidade e clima... Um detalhe para bem lembrar sobre nosso funcionamento são os marcadores externos: a mudança entre dia e noite, temperatura e luminosidade... Este marcadores exercem uma certa influência sobre nossa programação biológica... 

Enfim, estes funcionamentos orgânicos não obedecem às convenções familiares, culturais, sociais, políticas ou opções pessoais, porém necessitam dum ambiente adequado e agradável para o pleno desenvolvimento que garante a boa qualidade de vida... É bom lembrar também que estes funcionamentos biológicos e psicológicos sofrem violentamente com a degradação ambiental... Daí a necessidade dos profissionais da saúde estarem em constante formação, conforme às mudanças ambientais ou climáticas... 

Será que estou me fazendo entender?... Ou melhor: será que ficou claro o motivo pelo qual o Tempo é o meu Deus favorito?... Ou será que você de visão limitada percebeu que o Tempo pessoal funciona de acordo com o caráter ou o psicológico de cada ser?...

*.*.*.*.* 
Imagem Goggle

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Take On Me...



Náufraga Sofreguidão...

Com o rio de palavras
na correnteza da sintaxe 
conjugando os verbos
que outrora assustavam 
diante do terror do pretérito
no modo imperfeito do indicativo
eu amava
eu sofria...

Como cavaleiro que empunha sua espada
numa forma pouco convencional
o particípio rompia com esse fluxo
eu amada e não sabia
que tal correnteza ele  desfazia...

No reflexo do gerúndio
eu não mais sofria
amando eu seguia...

E o amor náufrago já não existia...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quinta-feira, 19 de abril de 2018

I´d Love You To Want Me...



Desejos...

Diante do vazio da noite solitária, decidi ir espreitar meus rascunhos, encontrei uns fragmentos do meu desejo... Isto fez-me lembrar duma conversa com as amigas lá do ‘Saúde em Movimento’... Por vezes, conversamos muito sobre nossas relações familiares e sentimentais; principalmente, nossas relações amorosas... Um dos aspectos essenciais da atividade física, enquanto busca da melhoria da qualidade de vida, é o conhecimento pleno do nosso corpo e de nossos desejos...

Certa vez falamos sobre os motivos que levam as mulheres a traírem seus maridos, ou melhor, sobre a necessidade de orgasmo (isto as leva a traírem a própria alma)... Dentre o grupo de mulheres da conversa, foi unânime a necessidade de carinho, de amor para uma plena relação sexual... Segundo elas, é muito raro se ter orgasmo apenas para saciar um desejo momentâneo, sob qualquer circunstância ou numa relação cheia de violência e desrespeito; isso somente alguns homens conseguem ou algumas mulheres ávidas por poder, mas nós mulheres sensíveis e humanas necessitamos muito mais além: muita ternura e afeto...


Pois é: existem mulheres que não medem as consequências para conquistarem o que querem; agem hipocritamente (para não dizer desumanamente), buscam atingir ao poder a qualquer custo, no afã dum momento orgástico...

É Verdade!... Eu só consigo entender o que é reciproco: só por amor eu vou além; nunca busquei poder ou gente ao meu redor para massagear meu ego... As farras capitalistas não me seduzem... Sério mesmo!... Eu gosto mesmo é do cheiro de verde molhado; da água amarela dos rios da minha cidade; das estradas arborizadas; da chuva, do sol, da lua iluminando e compondo a paisagem dos meus desejos...

E nos Laços do Abraço:
Sob a força do teu Ser
Dissolvo-me de desejos...

Sobrevivo com teus beijos
Língua na língua de Línguas
Solúvel sensação
Envolvendo-nos na paixão...

Em firmes movimentos
Teu corpo é uma ilha de prazer
Aquecendo minha pele com emoção...

Por isso, vivo minha ínfima imaginação
E sou dissolvida por desejos
Deslizando por entre teus dedos...

Agarro-me nas tuas mãos
E transcendendo por entre tuas pernas
Afirmo-me entrelaçada dentro de teus braços...

Em Infinita criação
Que me vem do coração
Assim, sinto tua excitação...

*.*.*.*.*
Imagem Google...

quarta-feira, 11 de abril de 2018

When You Love Someone...



Melodia do Leve Vento...

Serenamente, chega 
A estação que não tem cor 
Com ela as folhas 
Voam livre ao vento 
As árvores nuas 
Esperam o novo de novo 
O vento leve ecoa uma solitária rima 
Em um anseio por outra estação 
A chuva sempre voltará no outro dia 
As estrelas nunca deixarão de brilhar 
A poesia novamente exala 
A rima mágica de outra melodia 
E Deus no infinito permanecerá 
Cuidando de nós 
Diante desse belo 
Invade o desejo de revisar 
Os sentimentos 
A árvore nua 
Sugere uma nova ponte 
Ponte que abre passagem 
Ao cinza e às multicores 
O milagre de outra estação
Ilumina outros
E velhos sentimentos 
Nasce e renasce a esperança 
Na certeza de que os sonhos 
Sempre se renovarão também 
Para sempre o amor cantar...

*.*.*.*.*

terça-feira, 10 de abril de 2018

Esquadros...

Esperando Você...

Gostaria de encontrar as palavras mais lindas do mundo somente para dizer: amo você!...

Sabes o que mais me fascina em ti?...
É a tênue semelhança entre o brilho do teu olhar
e os mistérios que existem por trás
da sagrada escuridão das noites sem luar...

Fico assim perplexa 
ao ser levada pelos vestígios dos desejos
que contornam a fragilidade do teu corpo...

Vejo como espuma esvaindo-se
enrolada em minhas mãos
a delicadeza que constitue teu ser
tanto quanto, tantas vezes, tento segurar a chuva
ao se dissipar por entre meus dedos
exalando tua filoginia...

Aprendi com a ternura de teus gestos
a satisfazer o sabor do gosto de teu toque
se esvanecendo como as gotas de chuva
que se evaporam escorrendo pelas ruas...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Sunshine On My Shoulders...


Sem Sombras...

Você me puxou pela mão
quando caída estava no chão...

Afastou-me de todas as sombras
que encobriam a esperança...

Renasço e me refaço 
em plena calma
que só me acalma... 

Intenso ou relativo 
a cada segundo
vivo um tempo...

*.*.*.*.*
Imagem Google...

domingo, 1 de abril de 2018

Regresa a Mi...

Dos Dias que Seguem os Anos...

Já dizia Ralph Waldo Emerson: "Os anos ensinam coisas que os dias desconhecem"... Decerto, foi na correnteza da vida que vislumbramos nossos ideais, sentimos os odores da insensatez, livramo-nos das dores da leviandade... 

É exatamente assim o tempo, vai nos conduzindo como a correnteza dos rios faz até chegar em sua foz: curvas aqui e ali, superando os obstáculos para, então, juntar seu leito aos seus afluentes e subafluentes... E segue contornando esses obstáculos na certeza de garantir outros desembaraços: uma piririca aqui, ou uma enorme cachoeira ali... As lágrimas intensas ou lacrimejos nos olhos demonstram sempre nossos momentos obscuros, pois são nossas experiências de vida cheias de ziguezagues com traços repletos de meandros que vão desenhando nossos dias: momentos claros, outros cinzas e escuros ou coloridos e multicolores, mas sempre são horas carregadas de lições... 

E do leito em que meu destino foi jorrado, há afluentes sem fronteiras delimitadas: foz que segue perfazendo e desfazendo lagos de harmonias... Vivo, certamente, dessas correntezas que constroem sonhos, e que jorram lençóis d’águas: ora cristalinas, ora turvas, porém com a certeza de que todas as manhãs a realidade desfaz os pesados fardos... 

Sim, minha nascente vem correspondendo o segmento fluente de todos os rios... mesmo com meandros se interpondo a confluência dos meus dias... Da margem de onde nasci toda jusante segue seu fluxo natural: límpidos e cristalinos são meus dias a espera dos anos que formam lições descritas a cada instante que aspiro e inspiro o devir...

*.*.*.*.*
Imagem google

sábado, 31 de março de 2018

Era Uma Vez...

Lenta Agonia...

Hilariante num riso espontâneo
amparo a afabilidade dos gestos sinalizados
porém na frágil presença da condição humana
também exalo as imperfeições...

E por entre linhas de palavras rasuradas
interpretarás o que eu nunca soube falar...

Assim entenderás através dessas linhas
aquilo que não ousei expressar
pois nesse agito convulsivo da lenta agonia
suspiro por um porto seguro para me ancorar...

E assim eu sonho voar
até aonde eu possa te alcançar...

Amável é o teu olhar quando me vê passar...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quarta-feira, 28 de março de 2018

terça-feira, 27 de março de 2018

O Encanto de Existir...

Seguir à vida levemente é sim libertador, mas essa liberdade não significa esquecer aquilo que já vivenciamos, não... Entretanto para seguir sem o peso do passado é sempre bom relembrar que o pensamento não pode perder-se do presente, mas deve sim livrar-se das normas condicionantes as quais fizeram nossas vividas histórias negativas estagnarem as energias... 

Enfim, para abandonar essas bagagens cristalizadas e se encantar com o eterno milagre da vida, a imaginação deve se ocupar sempre com o sentimento de gratidão pelo dom da existência; pensar que o devir será sempre a realização dos sonhos do agora... 

Eis um segredo para afastar qualquer ideia de sofrimento e de desencanto para com o futuro... também acredito que seja uma boa forma de desprender-se dos laços da apatia e chamar os momentos de felicidades para nos fazer companhia...

Isso pode ser uma simples liberdade, porém o fundamental é entender que a vida é maravilhosa...

*.*.*.*.*
Foto by Allison Braden - Sunset over Lala Khal

segunda-feira, 19 de março de 2018

You've Got A Friend...



Desabafo...

Quando a sedução é vista em sua forma afetiva e não coletiva, sem a imagem de um imaginário social...
Definitivamente, desejo
que nossa existência
seja sempre pacífica...

E que da calmaria 
nasça a paz
que do silêncio
surja a resposta... 

Até que as lembranças
não emudeçam outras esperanças
e o grito traga da garganta
o exequível desabafo
numa partitura errática 
de onde transgrediu
nossa condição
 mais que erótica...

*.*.*.*.*
Imagem Google...

segunda-feira, 12 de março de 2018

Across the universe...



Memória da Pele...

E quando a intensidade da vida revira minha alma, as estrelas no céu ficam mais iluminadas; as águas cristalinas dos lagos transbordam de alegria... Miríades de pensamentos acalentam meu ser... Existe aí uma sensação de conforto: parece que todo o Universo brilha mais e emite ondas sonoras numa suave melodia ao som das harpas dos anjos que faz meu coração pulsar mais forte...

Por entre o descompasso dos desencontros, das buscas e até mesmo dos encontros jamais me perco de mim, porque através da sensível  memória da pele que me envolve exalo sempre o mesmo aroma: o amor!... Assim, renasço cheia de motivações a cada nova manhã e, para além da eternidade, renascerei...

Aí descobri que 
a melhor fórmula contra a saudade
é sonhar com a infinita doçura 
dos teus beijos de mel...

porque  persistir ou perseverar
é formular a realização
de todas as sutilezas
dos desejos da imaginação...

*.*.*.*.*
No meu clique: Lago no Parque Tucumã

sexta-feira, 9 de março de 2018

Anoche Soñé Contigo...

Enquanto Espero...

Corpos dissolvidos 
em enxurradas de suor
olhares frenéticos 
em ritmos excitantes
é na cadencia desse desejo
que eu sei me apaixonar...

Mão firmes a me direcionar
por seguimentos singelos
que eu jamais quis me afirmar
agora te quero no clarão solar
e te necessito na luz do luar...

Foi assim que aprendi a te amar
Em turbilhões de anseios a te esperar!...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quarta-feira, 7 de março de 2018

Modern Love...



Ofereçam-me Música, Por favor!...

Há quem sinta na música a única arte capaz de expressar a voz do coração; outros a considero a linguagem mais perfeita dos deuses... E eu percebo a música como o único meio de transportar-me a outras dimensões... A outros mundos onde nenhuma linguagem conotativa seja tão capaz de transmitir um sentimento não dito...

Somente a música consegue reconstruir minhas memórias e conduzir-me ao mais profundo do meu interior, mas com ela também posso construir outras realidades, onde meus sonhos vão alto e longe... Diante da música meus desejos invocam os sentimentos escondidos e resguardados como segredos jamais revelados...

É a música que exara a melodia, o ritmo, a harmonia da vida nos momentos que estamos a sós com nossa própria consciência... Por mais triste que a letra seja, ela jamais extermina o futuro ou oferece só o presente.. Por vezes, somos transportados ao passado para projetarmos o futuro... Ela nos livra das incertezas e nos garante a impossibilidade, nos livra das desesperanças e dá lugar a esperança...

Enfim, em nenhum momento a música anula a expressão do outro em nossa existência; ao contrário, aproxima-nos de quem demonstra a inabilidade de pensar o amanhã... Assim, pois, ela reconstrói o mais inábil ser que não é capaz de nos oferecer o desejo de viver... Ela alivia a dor da insegurança nos oferecendo o leitmotiv que afasta qualquer frustração de promessa do caminhar em comum... Alimenta as expectativas do vir-a-ser e impulsiona o compartilhamento do futuro exaurindo toda ideia de solidão... Através dela a fuga é a perene possibilidade do desejo de construir vidas... É o mais puro desejo de reconstruir os momentos vivos e vividos... Elas suplicam emoções, manifestam cores, avivam a memória, instigam desejos jamais sentidos e imaginados... Porque a paixão pela música é milenar e infinita: para sempre nos mobilizará...
*.*.*.*.*
Imagem Google

segunda-feira, 5 de março de 2018

Tell It Like It Is...


Sem Princípios...

Não finjo sentir
nem mesmo diante do perigo
portanto nem forjar existir
faz parte dos meus princípios
de seguir rumo às fronteiras
de horizontes desconhecidos
em busca de um silêncio
que delimite os ruídos
da ausência de sentindo
de viver só
no meio da multidão...

*.*.*.*.*
Imagem Google

sábado, 3 de março de 2018

Mais Um Na Multidão...



Nas Malhas da Memória...

Não importa aonde eu esteja, há milhas e milhas de pensamento ou cá dentro de mim, tu estarás sempre ao meu lado: pois nem toda viagem é uma perene morada, nem toda partida é uma eterna despedida... Isso foi apenas uma descoberta: toda paixão tem prazo de validade...

Sempre nutrir um imenso desejo de revelar meus anseios, apesar de eu não ser nenhuma divindade para penetrar no próprio interior e voltar repleta de sabedoria, sou daquelas pessoas muito introspectiva... Ali vou compondo as memórias do meu viver e desfazendo as tortuosas trilhas das dúvidas: ora refletindo, ora vivenciando todas as adversidades que o mundo nos oferece... E por agora está usufruindo das malhas perfeitas do destino...

*.*.*.*.*
Foto: eu na Praça do Comércio - Lisboa

sexta-feira, 2 de março de 2018

Lo che amo solo te...



Emoção no Desejo de Viver...

Jamais te questionei
por voares tão alto...

Mas quando indelicadamente
cortastes minhas asas
o vento soprou, ao meu redor, 
a brisa do destino...

Enquanto tu desatas
tuas amarras de censura,
desprendo-me dos vales de tua fúria
e solto-me da sina de teus desejos...

Alço voo 
para além do azul do céu
liberto-me sob a luz do sol
e sigo com a liberdade das estrelas...

Fui transportada por dimensões
que evocaram a emoção do desejo de viver
no ritmo e ao som duma melodia cheia de harmonia...

*.*.*.*.*

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Tormento...





Um Novo Território Interior...

Esta pode ser uma das mais Sábias decisões que alguém pode tomar... Então, estou partindo: nessa viajem irei chegar sem exaustão; mesmo assim enfrentarei muitos obstáculos ou, se dependesse de mim, sem enfrentar nenhuma tempestade...

Estou seguindo sem o mapa da direção... Vesti a armadura da coragem e armei-me com todo o amor possível... Sonhei com todas as possibilidades e impossibilidades... planejei, planeei, idealizei, delimitei e projetei: tracei metas e objetivos... Deixarei, frivolamente, o fútil para trás... Sigo conduzida pelas mãos da Fé...

Cá estou com o desejo de encontrar um novo horizonte... outra terra e outra gente... Cheia de esperança de vencer a mim mesma, sinto a força propulsora da paixão a guiar esta direção ao meu interior... Quero Paz; quero a Luz que me conduz... Enfim, esse encontro comigo mesma é o renascer para um Novo, desconhecido e misterioso Ser que habita dentro de mim: pátria selvagem; terra a desbravar...

*.*.*.*.*
Foto: Leonardo Kossoy

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Mi historia entre tus dedos...

Uivos...

Feridas revestidas de dor
uivos soltos
rasgando o corpo
desnudando os medos
desvelando a íntima intimidade
expondo segredos
nos lamentos
que revelam quem sou
desvaneço nos abraços
de quem já passou...

*.*.*.*.*
Foto: Leonardo Kossoy

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

As canções que você fez pra mim...



Bem-Dito é o Amor...

Sim, o amor pelo ser desejado não machuca e nem ele aparece sozinho... vem sempre acompanhado da sonoridade no ritmo de um corpo em movimento, o qual entra em sintonia com o outro corpo... Ele rompe todas as fronteiras e os limites do silencioso anonimato... Assim, pois, urge a plenitude da capacidade de tocar o ser amado...

Povoando a solidão, que insiste em tomar conta de nós, o amor nos preenche de felicidade e anestesia todas as dores... Ah, bendito e sagrado amor que, como mistério para desvendar, me trouxe você para me ensinar a viver...

Por isso, alegro-me sempre em bendizer todos os caminhos que me levam a você: nele sou a eterna felicidade de viver o bem-dizer...

*.*.*.*.*
Foto: eu na Pousada da Serra da Estrela

sábado, 17 de fevereiro de 2018

El Desierto...



Enigma...

Ser consumida por essa loucura obscura da pólis
Equivale a desvendar os mistérios
Dum passado nunca vivenciado...

Talvez o momento seja apenas do voar
Para não se encharcar na lama que aí estar...

Pois para sempre uma brisa há de pairar
Como sempre hei de com a esperança me envolver...

Meu eu enraizado haverá do ontem se perder
Sem os bons frutos deixar de colher...

*.*.*.*.*
Pintura: Henry Yeend King

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Afável Existir...

Quando leve fica nossa existência 
quão suave os dias passam
e diante dessa leveza do viver
que refrigera o ser
a alma grita ao Universo:

Ah, vida
vida doce, doce vida
como é plena tua essência
de vitalidade
transformando tudo
na serena sensação
do ser que pode hoje ter
o ar da graça de ser...

Vida que transborda alegria
e que contorna meus passos 
com afinco na eterna memória
da glória do bem querer...

Vida de fecunda beleza 
exalando a felicidade 
que inspira o livre vento
a caminhar na infinda estrada
sem se inquietar pra chegar...

Vida  encantada
de versos que compõem 
nossa afável história
na delicada leveza do existir...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

sábado, 13 de janeiro de 2018

A Magia Química...


Quando alguém se revela para mim através de uma alquimia a qual eu não consigo entender, eu fico perdida no tempo em busca de explicação... Por mais que eu contemple a situação, e reflita a cada encontro, onde as miradas se revelam mais intensas, eu não consigo encontrar as palavras para explicar, o motivo que um desconhecido, mesmo que distante, consegue despertar essa onda de desejos que invade a alma e tira toda a calma do coração... Simplesmente entre os olhares que se cruzam...

Há quem diga que ter química com alguém é algo tão forte que nossa vida se transforma em um caos inexplicável... Comigo não chega a se transformar num caos, ao contrário, fico paralisada; e uma agitação interior me domina, tanto que fico esperando que o ser desejado se aproxime para eu tentar entender tal magia... 

Muito embora seja comum afirmar que nenhuma pessoa cruza nosso caminho por obra do acaso; e sim para nos trazer uma lição ou apreender uma experiência... Porém quando esse experimento vem através duma alquimia o bom mesmo é deixar o tempo encarregado de trazer a explicação...  Mas palavra são palavras, que tentam guardar no seio de um tempo uma tempestade se sentimentos que nenhuma alma consegue descrever com alguma verossimilhança... 

Enfim, quando cria-se um vínculo afetivo por meio do efeito da atração química, o difícil é desfazer ou livrar-se dessa sensação de pertencimento, mesmo sem entender da onde veio ou para onde vai; e quase impossível é evitar tal ligação ou saber o que deve ser feito para romper com tal vínculo... Fica a revelação!... 

*.*.*.*.*
Imagem Google