terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Desfazendo as Amarras...

Sou uma humilde criada do Tempo, porque somente Ele existe sobre mim, por isso curvo-me diante da humanidade... Pensando em afirmar o equilíbrio e conquistar segurança no viver, concentro-me no agora e entrego-me por inteira... 

Pois existe um caminho suave para enfrentar as atividades da rotina cotidiana: focar o pensamento nesse instante presente; sentir o corpo em sua totalidade para entender cada membro na sua função; inspirar e respirar lentamente para inalar suavemente o embalar da respiração; vivenciar cada pulsar do coração, ouvindo as batidas num vai e vem da delicada pulsação... 

E para não me deixar mover por crenças inconscientes, que tendem a tornar as situações negativas do viver repetitivas, luto contra qualquer forma de condicionamento; porque crendices não têm relação com a realidade... Porém, no processo de formação de nossa maturidade, nos fazem acreditar em falsas crenças que se tornam uma verdade absoluta para nós... Isto nos leva a reagir, diante do convívio social, sempre da mesma forma, mesmo que lutemos para reagir diferente... 

Livrar-se das amarras dos falsos valores que cristalizam-se em vis hábitos das normas culturais é necessário...
*.*.*.*.*
Foto: eu e a equipe de Educadores Popular do Talher, em 2009, Seringal Cachoeira

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Passageiros do Vento...

Numa órbita interestelar
longe do sistema solar
nenhum planeta
foi possível conquistar

Fez-se luz e juntos somos
poeira das estrelas
viajantes dos ventos intergalácticos
no Planeta Terra, imigrantes...

*.*.*.*.*
Imagem Google

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

domingo, 3 de dezembro de 2017

Um Brinde à Vida...

Nossa vida
é o que de mais importante
existe nesse mundo...

Tão linda quanto o Sol, a Lua
e as estrelas...

É a mais perfeita Criação
do Construtor do Universo...

Mesmo com tantos defeitos
nossas qualidades são imensas
na multidão...

Pertencemos a uma sociedade
com características bem individuais:
nossas histórias, nossos sentimentos
apenas isto
nos distingue das outras pessoas...

Nossa inteligência
e nosso vínculo de comunicação
se desenvolvem a cada dia
porque ocorrem em nós
transformações
resultado de uma elaboração nossa
com a influência do meio
o qual vivenciamos... 

Viver é nosso melhor
e maior espetáculo
no palco da vida...

*.*.*.*.*
Imagem Google

sábado, 2 de dezembro de 2017

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Amor de Mãe...

De todo o meu cuidado
aos que parecem mais frágeis
serei atenta...

Passei nove meses
na expectativa
fazia mil planos 
enquanto esperava vocês
se transformarem dentro de mim...

Já nos meus braços 
quis ser o aconchego
mais que agradável e seguro...

Fiquei atenta a espera 
de que seus corações se fortalecessem
vocês crescessem para a vida...

Aí vocês cresceram tanto 
que conseguem avistar 
o horizonte muito além do que eu
se tornaram seres super especiais
mas, aos meus olhos,
 tão frágeis quanto eram crianças
e se tudo dependesse de mim
não permitiria
que ninguém os magoassem
ou machucasse vocês...

Meu desejo
é de sempre protegê-los
e defendê-los de todos os perigos...

Por vezes, 
apontaria os caminhos mais seguros
para vocês seguirem vivenciando
o melhor da vida
e eu ficaria com o olhar
sempre aberto
para vocês percorrê-lo
com mais segurança...

Porém, bem sei
que é a vida
quem lhes dará
os melhores ensinamentos...

Assim como
é somente vocês quem descobrirão
os melhores caminhos 
para trilharem com firmeza...

Também é somente vocês
quem saberão preencherem suas existências
com mais amor, alegria, 
sabedoria, fé e esperança 
perfazendo suas essências
com os melhores valores 
para compartilharem
e compreenderem o mundo
o qual vivemos...

A mim só é-me permitido
felicitá-los por todas as voltas
ao redor do Sol
e desejar que todos 
os seus momentos de translação
sejam cobertos de Bençãos!... 

*.*.*.*.*

sábado, 18 de novembro de 2017

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Tempo de Gratidão...

Tempo, tempo
enquanto passas por mim
não sejas vil e nem vão... 

quando os teus anos 
eu já não aguentar
e o cansaço vir-me afogar...

quando a rotina do dia a dia
me sufocar
eu não conseguir respirar
e as dores me machucar...

quando meus ombros
diante de ti se curvar
e minhas pernas
na angústia tropeçar...

quando a falta de esperança
me dominar
a alegria falhar e a tristeza
um pranto de lágrimas 
fazer derramar...

quando a mediocridade
 em mim aflorar
a intolerância
 em mim se enraizar
a falta de humildade
 me envaidecer
e meu coração
 individualista ficar:

Vem com teu ímpeto
em mim jorrar
o amor que da límpida fonte
faz todo ser se renovar...

Levanta-me
e impulsiona meu caminhar...

Acolhe-me nos teus serenos dias
que faz do desânimo
um horizonte novo florescer...

Na paciência das tuas suaves horas
cobre-me com as asas da imaginação
eterniza esses momentos de inspiração
e inunda de gratidão meu coração...

Ensina-me, com calma, esperar
O teu Tempo passar...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Tédio...

Viver, surge o medo
nas entranhas
 mais uma vez a dor floresce...

Tão repartida e dividida
na revelação frontal dos problemas
amarga a alma desvanece...

Sem respostas, dúvidas incertas
nada se define, tudo é caos...

A tortura me consome...

As horas sombrias
se assemelham aos gestos
abertos do tédio, que me devora
a cada instante de sensatez...

Insana impaciência!...

*.*.*.*.*.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

domingo, 5 de novembro de 2017

Queixume...

Com a cabeça indiferente
o sorriso não mente
a saída é enfrentar 
os dissabores da vida
onde os murmúrios revelam
um tempo de queixumes
e conta glorificando
as oportunidades perdidas
que insiste na memória...
O inoportuno rancor
fiel, persiste...
Deixa-me, vai com as horas
Ou ensina-me um soneto
para as queixas por aí seguir...

*.*.*.*.*.*
Imagem Google

sábado, 4 de novembro de 2017

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Presente...

 Por vezes, não é fácil
 contente ficar
quando em territórios minados
por falsas lembranças
precisamos pisar
para a paz renovar...

Este momento é para aprender
ao meu arredor mirar
e perceber que o presente
é um presente
só nos cabe abraçar...

*.*.*.*.*
Imagem Google

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Amor para Sempre Amar...

Quando a pessoa olha aquelas fotos antigas,  começa a reviver os dias de glória da juventude... É quando o passado de algumas décadas se torna bem presente, e um furacão de sentimentos invade a alma... Aí é preciso escrever assim:

Amor
que o tempo não leva
não desfaz
nem corrói...
Amor
que se constrói
só de olhar
que aumenta
com as horas
e se reconstrói
em nosso caminhar...
Amor
que vem com a brisa
e sempre se firma
durante o respirar...
Amor
que a ventania não balança
e nenhuma tempestade impede
de suas raízes se afirmar...
Amor 
que transborda alegria 
quando as correntezas dos rios
faz uma barreira pra ele flutuar...
Amor
que na chuva inunda
nossos sentimentos, pensando:
onde ele pode estar?...
Amor
que os dias não desbota
não amarrota 
nem derrota
nos momentos
quando ele não está...
Amor
que vai crescendo
só aumenta
sentido os meses passar...

E já vem vindo mais um ano
pra ele em tudo recomeçar
Amor para sempre amar!...

*.*.*.*.*
Imagem Google...

terça-feira, 31 de outubro de 2017

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Uma Longa Indireta II..

Em outras palavras: enquanto observo aquilo que a intimidade da distância me proporciona, surge uma situação me privilegiando com a compreensão do meu lugar no mundo... Ao vê-me numa dada realidade descrita por mim, ou por quem me julga, por exemplo, adquiro uma consciência do potencial que a leitura-escrita exerce sobre mim, numa situação de fundamental importância que se retém longe da intimidade de um contato... Ou seja: é uma compreensão de mim que a distância crítica me proporciona...

Entretanto, percebo algo em mim se desvanecendo quando me coloco no foco diante de um olhar investigador, e essa atenção mostra que o motivo desse desvanecimento é o fracasso ou o estranho comportamento daquilo que me leva à decepção de alguma coisa... Daí sou capaz de movimentar-me com facilidade em várias situações diferentes, para, assim, me reestruturar ou me reinventar... 

Por fim, refaço-me numa contínua transgressão de fronteiras, onde permito-me a espreitar a criatividade da destreza humana, perante um mundo aparentemente estável com falsos credos atemporais e cheios de barreiras, que nos leva a criação de uma cultura encurralada por perigosas armadilhas, geradoras de conflitos e doenças morais: como o preconceito, a discriminação  e o racismo, que são fonte da cegueira desconstrutora da civilidade, levando ao desconhecimento das semelhanças entre os seres humanos, mesmo com suas diferenças de cor, raça,  crença e  situação socioeconômica... É aí que surge a necessidade em mudar de conotação e inverter o jogo, onde me permita um posicionamento no controle da situação, para comandar meus próprios desejos... Enfim, adquirir uma melhor percepção dos  perigos e das complexidades que me rodeiam... 

Por isso a necessidade dessa transgressão como possibilidade do conhecimento da falsa realidade cultural construtora dessas doenças (a exclusão ou marginalização em decorrência da situação socioeconômica, preconceito, discriminação, racismo, intolerância religiosa ou as "homos" em voga), os falsos moralismos e os caóticos conflitos geradores das violências modernas... Enfim, esse refazer-se é simplesmente se reconhecer no mundo e se desnudar dos falsos credos para saber que tudo ainda está por ser construído, inclusive os valores que formam o caráter das personas terrestres... Obrigada por me compreender...

*.*.*.*.*
Paisagem Google  

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Uma Longa Indireta...

Ao que parece ninguém gosta de indireta; nem eu, porém hoje decidi fazer jus a quem gosta desse tipo de atitude... Pode me chamar de idiota, ou qualquer adjetivo que possa desqualificar minha longa indireta; mesmo assim sempre que necessário insistirei nas delongas para deixar registrado meu melhor passa-tempo... Não, eu também não costumo enviar mensagens como indireta a ninguém, logo eu sou muito explícita em tudo que sinto e faço, portanto tudo comigo é frontalmente no papo reto (quem ler esse texto que me perdoe por eu expor essa indireta assim tão contraditoriamente; no entanto  tem gente que evita ouvir uma crítica olho-no-olho, felizmente temos as redes sociais para revelar quem é quem)...

Por vezes, sou obrigada a responder certas mensagens de forma torta, pois existem algumas situações onde as quais me fogem da compreensão: sim, eu sinto saudade de muita coisa que ficou pra trás, mas não me arrependo de nada do que já fiz, disse ou escrevi, logo sempre fui muito autêntica  em tudo... Fico feliz que tenhas, finalmente, se dado conta de que minhas prioridades estão muito além de uma relação afetiva ou do moralismo familiar...

Desculpa mais uma vez... Normalmente, aprendemos a nos valorizar depois de sofrer algumas decepções... O engraçado é que existem períodos de nossas vidas dos quais as pessoas em que estão ao nosso lado só percebem nossas qualidades e, geralmente, que nos doamos por inteira, depois que nos perdem, e percebem também que o amor real ou a amizade verdadeira é aquele que é vivido e sentido – intensamente – nas relações cotidianas construídas no cuidado, no zelo para com o outro: suadas, sofridas, nas resoluções das tarefas, dos compromissos assumidos, nas responsabilidades cumpridas... Entretanto, existem aquelas pessoas com capacidade de achar que a distância e a indiferença constroem um relacionamento (afetivo ou de amizade), mesmo cheios de decepções... Ah sim, pode ser um grande defeito meu, mas não costumo fazer o bem sem olhar a quem... Todo bem que costumo fazer é em retribuição ao bem o qual me fazem... Aos indiferentes envio-lhes minha indiferença também... 

Hoje sinto saudade, sim, sinto falta de alguma coisa que passou, e por mais que algumas situações tenham sido promovidas por uma desilusão, me faz sentir um mínimo de interesse em saber se tu já aprendeu a valorizar a amizade ou o amor de forma a saber que o que foi irrelevante para ti, hoje te faz falta... Não costumo sentir raiva e nem rancor... Afinal, é através das decepções, das traições e das puxadas de tapetes ou das quedas que levamos com as quais aprendemos a perseverar no caminho: curar as feridas, enxugar as lágrimas e levantar para seguir em frente com a cabeça erguida...

Procuro lembrar sempre de toda relação de amizade ou afetiva como uma lição; onde as quais me fizeram aprender que em algum momento posso ter perdido a direção, ter perdido o foco da minha vida, mas, apesar das lições dolorosas, não perdi a noção dos bons valores que constroem o bom viver; assim como toda e qualquer lição foi mais um aprendizado de como superar os problemas que vão surgindo ao longo da estrada da vida; e também que elas me deixaram perceber que estou sempre a fazer a escolha certa... Principalmente, que aprendi a seguir em frente com mais maturidade, isto é uma certeza; e ter aprendido também a jamais perder meu tempo com pessoas que não respeitam os bons valores do respeito para com o outro... 

Desejo de coração que toda relação seja no mínimo uma lição para aprender a lidar com as diferenças... Porque, felizmente, eu aprendi a agradecer sempre por tudo que me ensinam, pelas escolhas erradas que me impulsionaram a fazer, pelas dores que me fizeram sentir, pelas confusões que me ensinaram a lidar com a ausência, e que, finalmente, consegui aprender que o tempo passa e a saudade é uma grande aliada que nos ensina a perdoar, pois somente assim (errando, principalmente) me tornei um ser humano melhor: o que hoje sou... Enfim, aprendi primeiro a me amar; depois a cuidar de mim; gosto tanto de mim, e mais um pouco: também não uso maquiagem e nem luto pra ficar em forma física (minha grande luta é continuar a corrigir meus erros)... Infelizmente, ainda me falta descobrir o doce sabor de fazer a diferença na vida de alguém, pois saber fazer a diferença na minha vida já sei...
*.*.*.*.*

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Mi Buen Amor...

Gratidão...

A cada instante 
eu dou Graças a Deus
pelo dia que me guia 
e com o Sol ilumina
todos os caminhos meus...

Em todas as horas 
eu Agradeço a Deus 
pelo noite que me esconde 
e com a Lua acoberta
todos os pecados meus...

*.*.*.*.*

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Insensível Indiferença...

Caberiam numa só palavra
todas as minhas mentiras
porque nela transborda
o obscuro rio da incerteza
e uma vasta vida
que desconhece o sentido
de uma clara manhã
repleta de esperança...
Todas as minhas mentiras
podem ser conjugadas
em um só verbo
se nele ocupasse
o eterno horizonte
que brilha a afável certeza
da felicidade sem fim
que enaltece o som
dos raios de sol
de todas as manhãs
repletas da certeira serenidade...
Sim, tantas mentiras
podem ser interpretadas
em uma única palavra: amor...
Porque amar é um verbo
que meu coração
nunca cogitou a conjugar...

*.*.*.*.*
Imagem Google

domingo, 8 de outubro de 2017

sábado, 7 de outubro de 2017

Insana Consciência...

E na noite existe um mistério
o qual eu teimo em compreender
mas sem aquele vestígio
impróprio da pertinência
e um toque selvagem
alheio as tensões
que se formam do lado avesso
eu não compreendo
esse estado de perfeito juízo
pleno de sanidade
pois diante da sã consciência
nada funciona
com aquela bondade comum
a qual surge de fora, no diurno
e que ainda pode ser o decente
mas sem os poderes ocultos
que ocultam nossas sombras
diante dessa energia noturna
que assusta
eu reafirmo: nada pode existir
nem eu...

*.*.*.*.*
Imagem Google

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Regozijo...

Admirável são os espaços vazios
da beleza que regozija a alma...

Sublime é o poema
que se inscreveu
nas entrelinhas
de um desses vazios...

Gritei com o verbo da dor
surgiu o verso do amor...

Num tempo temporário
as metáforas se aprofundaram
e acordaram o silêncio
que me deixou perceber
qualquer coisa de real...

Desabrochou do calor
a linguagem do desejo que se formou
e explodiu na voz que regozijou...

*.*.*.*.*
Imagem Google


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Em Busca da Primavera...

Quando chega nosso inverno chuvoso com ele vem junto uma imensa vontade de sorrir... Porque depois de uma torrencial seca, nosso verão, flores são tão difíceis de serem encontradas: foi o que me inspirou os verso que seguem... 

Ah, como eu sonho com a primavera
Nas pétalas formosas tocar
Com o perfume delas me embriagar
E com a cor dessas flores
Um céu de aquarela pintar...

Mas essa estação
Com o solstício não veio
No meu quintal ficar... 

Mas vieram as trovoadas
No céu uma melodia tocar...

Assim meus sonhos
Com as chuvas acordar
E ouvir os pingos 
Um perfeito acorde formar
Para uma progressão harmoniosa 
Da vida sentir
O som do tempo diminuto passar...

*.*.*.*.*
Imagem Google

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

domingo, 1 de outubro de 2017

Mudança de Prisma...

Como a vida não pára 
meu olhar sempre mudará
ora doce, instantes iluminados
pela manhã sorridente
já à noite inspirado
em território minado
de lembranças,
firme questiona,
intenso e sereno 
se reinventa amadurecendo 
de acordo com a alma
ele vai vivendo...

*.*.*.*.*

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Nem Sempre é Poesia...

É porque através da escrita explicitamos nossas experiências, forjamos sentimentos, trilhamos longas estradas, construímos mundo, intensificamos o calor do sol, nominamos as estrelas, descobrimos o brilho da lua, ouvimos o uivo dos ventos, descrevemos os borrões das nuvens, evaporamos com os pingos da chuva, nadamos contra as fortes correntezas dos rios caudalosos, transformamos mares e oceanos em lágrimas, mostramos o aroma da flora e damos voz à fauna... 

E o olho do leitor só avista o horizonte que limita suas experiências: sua interpretação é do tamanho de sua imaginação... Nem tudo é poesia...

*.*.*.*.*


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

sábado, 9 de setembro de 2017

Ocaso...

Por entre a gradiente cor azul do dia
e o cinza escuro da noite
há um instante distinto do crepúsculo
que define o intervalo
entre eu e tu...

*.*.*.*.*

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Um Confortável Abrigo

O amor é a paz certeira 
à inquietude da vida...
Ele liberta o grito
que alimenta a vaidade... 
Não existe culpados
para as exigências sorrateira
que submete os sentimentos 
em batalhas perdidas
nos inconstantes dias
do calendário das horas...
Sem demora, o amor
impõe ao medo 
uma ternura amiga
reinventa a sina 
levando a calma
para situar a alma
no delicado universo 
do sorriso infinito
que transforma o mundo
em um confortável abrigo...

*.*.*.*.*

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

terça-feira, 5 de setembro de 2017

A Imensidão do Infinito...

Quando vejo a minha frente
a imensidão do infinito
diante da eternidade tão breve
o medo da surpresa me domina
e absorve meus pensamentos 
de tão pequeno é o espaço 
que ocupo...

Desconhecida do ali
estou aqui...
Desprovida do depois
Sou agora...

*.*.*.*.*
Imagem Google

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

domingo, 3 de setembro de 2017

Abraça-me...

Nos teus braços 
me lanço
e laço-me no infinito 
do teu ímpeto... 
Mas sempre me perco
quando meu coração revela
aquilo que teu abraçar espera... 
Abraça-me com a ternura 
que fortalece 
e com a compreensão
que alegra a alma 
e me faz sorrir... 

*.*.*.*.*



sábado, 2 de setembro de 2017

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Do Afeto...

Com o coração a pulsar
e o mundo amavelmente
a me chamar
para aprender a amar
Ao afeto, eu peço
afasta-me das dolorosas experiências
da alma indiferente e ingrata...

*.*.*.*.*

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Angústia...

Por vezes, faltou-me sabedoria para descrever o eu-lírico do poema abaixo, por isso destaquei um trecho do livro "Ao Encontro da Sombra" que, de certa forma, identifica o conflito que tentei expressar... "Busquei uma maneira simbólica de deixar nascer a minha sombra, para que a minha vida exterior não se desfizesse e para que eu não precisasse pôr de lado esse modo de vida criativo que tanto amo...

Quando aceitamos as nossas facetas mais cruéis, aprofundamo-nos em nossos aspectos mais positivos... Pois cada um de nós projeta uma sombra escura, e quando ela não é compreendida impede nossa vida consciente... Essa sombra constitui, em todos os efeitos, um impedimento inconsciente que inibe as nossas melhores intenções”... (Carl Gustav Jung)

Paisagens do destino vão seguindo
imagens contornando as palavras
que se dissipam no céu cinza
e no céu estão perdidas...

Em chuvas consagradas
descrevo o sombrio irreal 
que desnuda o movimento
da alma
quando não se reconhece...

*.*.*.*.*
Imagem Google

domingo, 27 de agosto de 2017

Contigo Aprendí...

Paixão: Erotismo e Sedução III...

Talvez alguma coisa compense todas as tensões proporcionadas pelo trabalho ou pelas guerras (caos em geral)... Alguma coisa que não consegue ser ditas pelas denotações, mas que sutilmente consegue expressar-se através dos enigmas exalados pelo corpo e pela alma; é, pois, através do sagrado e do profano que o corpo e a mente, enigmaticamente, encontram a sensação agradável da diversão...

Enamorei-me... Foi daí então que a conexão entre o erotismo e a sedução se tornou íntima da paixão... Não há subversão no amor; o amor também disciplina, ele acalma e faz-se no silêncio... Diferentemente do amor, a paixão exige subversão, transgressão e intensos movimentos... Há frenéticas disposições e alegria na paixão; ela não procura o silêncio, mas gosta de segredos: "Em lugar de um segredo absoluto; aí estaria a paixão... Não há paixão sem segredo, este segredo, mas não há segredo sem paixão" (Derrida)... O Segredo é uma qualidade sedutora... Porém não podemos nos iludir diante do processo de seduzir... Ao contrário, ele é carregado de exigências e intensas desordens; a sedução não pode parar de pensar; ela é incansável ao desnudar emoções... Capaz de construir um credo, a sedução busca a sabedoria, para fornecer a tolerância da espera ou meios de lidar com a encenação sem ligação com o real... 

"O que se diz de imediato sobre a sedução é que é um jogo... Caçada silenciosa entre dois olhares: captura numa rede silenciosa de palavras... Jogo arriscado e fascinante - angústia e gozo - onde o vencedor não sabe o que fazer com seu trofeu e o perdedor só sabe que perdeu seu rumo: um jogo onde a única possibilidade de empate se chama amor"... Lembremos agora que a sedução é também descrita pelo sagrado como inclinação artificiosamente para o mal ou para o erro... Também os crédulos a vêem com o sentido de desencaminhar os indefesos, mas lembremos também que a função do sagrado é disciplinar a sexualidade, portanto evitemos os moralismos disciplinadores, que sufocam a sexualidade, e nos apercebamos da arte do encantamento exalado pela sedução... Há uma solução muito eficaz contra a encenação do processo de seduzir: o erotismo... É ele que leva a pessoa sedutora a cair ou se envolver plenamente no fascínio da sedução...

O ser erótico evita o segredo, se afasta do silêncio da sedução e se envolve plenamente na desordem para cair na armadilha que lhe foi preparada pela paixão: o erotismo exige movimentos e ultrapassa a encenação sedutora para fixar-se em envolventes ações... Aqui faz-se necessário relembrar que jamais e jamais devemos relacionar sedução e erotismo à pornografia; a pornografia é a ânsia dos perversos e desequilibrados, ela pertence à ignorância de quem desconhece a paixão e o amor; é um jogo sujo que dificilmente se joga à dois...

Só quem vivencia bem a sedução consegue expressar e absorver o erotismo... Lembremos: é quando nos deleitamos de paixão que um vento quente, mais desesperado se arrasta pelo corpo e nos desmancha de prazer; aí existe qualquer coisa de verdade... Convence-nos de que no céu as estrelas brilham para enamorar, e começa a nos apresentar a metamorfose dos sentimentos; há uma fusão de sentidos avermelhados e úmidos... São as preliminares da estratégia estética nos apresentando o lúdico de uma realidade encantada, que não exige nenhuma explicação, nenhuma verdade... 

Uma poeira se espalha em nossa volta, inunda nossa alma, e avisa-nos que as coisas precisam ficar fora do lugar... É preciso aceitar que uma turbulência revire nosso coração, descompense nossa alma: é o vendaval da paixão deixando tudo fora de lugar... Até que os sentimentos agonizantes se vão, a poeira assenta e a solidão nos convida para uma conversa franca... Fala-nos que o tempo de espera findou... Foram, enfim, a sedução e o erotismo a prévia estética de um jogo lúdico anunciando a consumação do saudável e prazeroso ato sexual... 

Por fim, as estações, que nos estremeceram, desfizeram nossas certezas, flexibilizaram nossa insensatez e tudo transformou-se em aceitação; novos sentimentos florescem e dão permissão para olharmos de frente as arrebentações da paixão... Aprendemos a apreciar o tempo de espera e a desafiar o vento... Na presença tanto da paixão quanto da sedução, a encenação do erotismo foi de concretizar o desejo: o prazer do gozo... Afinal, amantes apaixonados não se comportam e não dão espaço ao tédio... Querem fantasia, exigem outras íntimas companhias: a sedução, o erotismo... eles necessitam prolongar o tempo com teatro e poesia, exigem romances na intimidade das horas... É a arte de amar e de reinventar-se a cada novo dia...

*.*.*.*.*
Bibliografia Basilar...
Bataille, Georges. O Erotismo. Ed. L&PM. Porto Alegre, 1987.
Baudrillard, Jean. Da Sedução. Papirus Editora. São Paulo, 1992.
Derrida, Jacques. Paixões. Papirus Editora. São Paulo, 1995.
Foucault, Michel. História da Sexualidade I: a vontade do saber Edições Graal.Rio de Janeiro 1999.
____________. História da Sexualidade II: o uso dos prazeres. Edições Graal. Rio de Janeiro, 1990.
____________. História da sexualidade III: o cuidado de si. Edições Graal. Rio de Janeiro, 2007.

Paz, Octavio. A Dupla Chama: Amor e Erotismo. Editora Siciliano. São Paulo, 1995.